SEMPRE PROCURE

quinta-feira, 21 de abril de 2016

TERRA ESTRANHA




"No aguardo de pequenas ideias tudo se torna nada a ser jogado ao longe. Em terra estranha encontra o teu norte que ao longe chega a nada. Mediar o que de ti se torna o resultado a chorar pela lágrima a secar longe de sentimental. Espero poder longe tocar o mínimo da igualdade de constante de si mesmo. Pois me encontro em terra estranha na entranha de mim mesmo.
O peito amarga o abismal espaço sem preenchimento ilógico de minhas angustias. Sou pequena porção de terra sem utilidade inutilizada pela aridez das palavras involucres de minha ignorância. Sou tão pouco ao mesmo tempo tudo o que necessário se tornaria o nada." Albert Santana